sexta-feira, 16 de maio de 2014

O sonhador - Alfred Tennyson

No meio de uma noite no meio do inverno,
quando tudo estava morto exceto os ventos,
Em sua cabeça ressoava uma frase da Escritura:
“Os Humildes Herdarão a Terra.”
Até que em sonhos ele percebeu uma Voz da Terra
passando por ele, e ela dizia, em tom de lamento:

“Estou perdendo a luz da minha juventude
E a visão que tempos atrás me conduzia,
E me bato de frente com uma Verdade de ferro,
Quando me esforço por uma Era de ouro;
E gostaria que a minha raça terminasse, porque,
Repleta de mentirosos, de loucos e patifes,
Cansada de autocratas, rebeldes e escravos,
Escurecida pelas dúvidas sobre uma fé que salva,
Coberta de sangue pelas batalhas,
oca com tantas sepulturas,
Acompanhada pelo lamento dos meus ventos
e pelo gemido das ondas do mar,
Eu giro, e sigo girando em torno do Sol.”

Seria apenas o vento da Noite soprando Desolação e engano,
Através de um sonho sobre a escuridão?
E no entanto ele pensou estar respondendo aos lamentos dela
com uma canção -

Tuas perdas te arrancam gemidos, oh Terra
Exausta e de coração cansado!
Mas tudo o que termina bem é bom.
Gira, e segue girando em torno do Sol!

Ele avança de céu em céu,
E as perdas são menores que os ganhos,
Porque tudo o que termina bem é bom.
Gira, segue girando em torno do Sol!

O Reino dos Humildes sobre a Terra
Oh vida cansada, não começou?
Porém, tudo o que termina bem é bom.
Gira, e segue girando em torno do Sol!

Porque os teus lamentos se transformarão
na música das esferas,
Ou tua raça desaparecerá para sempre!
Tudo aquilo que termina bem é bom.
Gira, segue girando em torno do Sol!

Nenhum comentário:

Postar um comentário