sábado, 23 de agosto de 2014

A Filosofia - René François Arnaud Prudhomme

(Trad. de Antônio Sales)
 
Uma triste mulher, que em si mesma, silente,
 se abisma, em pé curvada: eis a Filosofia. 
Solitária, na sombra entra, e ali se confia
 aos impulsos da fé, que em seu íntimo sente.
 
A terra, as estações, o azul resplandecente,
a volúpia falaz que da vida irradia,
tudo o que o nosso olhar percebe, a deixa fria:
ela reclama e busca um sempiterno ausente.
 
  Virgem augusta, eu te amo e o teu pesar compreendo:
de ti me aproximando, o meu hálito prendo, 
para não perturbar o teu labor divino.
 
Porque de tua boca eu espero o segredo, 
que desejo saber e de que tenho medo:
minha origem qual é, e qual é meu destino?

Um comentário:

  1. Muito interrogativo, mas a vida é feita de interrogações e
    muita vez de perguntas sem respostas.
    Gostei.
    Cumprimentos

    ResponderExcluir