quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Meu canto - Medeiros Braga


Invejo o doce cântico dos poetas
Externando as belezas e os amores,
Os aromas febris das róseas flores,
O sussurrar das ondas inquietas!

Invejo o verso altivo sem clamores
Que aos lábios foge enunciando festas!...
A lira comovente das serestas,
A arte romântica dos pintores!

Mas não consigo usar a mesma pinça
Porque meus olhos só veem injustiças,
Meu coração só sente o pranto e a dor!

Por isso que meu canto é um brado ardente
Um facho de poesia a me guiar em frente
Enquanto um poeta, triste, em vida eu for!

Um comentário:

  1. Os poetas podem ser tristes porque são pessoas muito sensíveis.
    Gostei do seu poema poeta amigo.
    Um abraço
    Irene Alves

    ResponderExcluir