sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Ó, como te amo - Carolina Coronado

(Trad. de J. G. de Araújo Jorge)
 
Ó, como te amo! Como a luz do dia!
Teu nome invoco, apaixonada e triste,
e quando a noite veio, e tu partiste,
minha alma em ânsias ainda te pedia!
 
És para mim o tempo que me guia,
a ideia que ao meu pensamento assiste,
porque em ti se concentra quanto existe:
a esperança, a paixão, minha poesia.
 
Não há santo que iguale em pensamento
 o teu amor, se sonhas e deliras
 num doce instante de arrebatamento...
 
Tremo ao te ouvir. Se me olhas tu me inspiras!
E quisera exalar o último alento
abrasada ao calor do ar que respiras.

Um comentário:

  1. Um maravilhoso poema de amor.E o amor é a fonte criativa
    de muitos poetas.
    Gostei muito.
    Irene Alves

    ResponderExcluir