sexta-feira, 12 de setembro de 2014

O touro - Miguel Hernández

(Trad. de Delson Tarlé)
 
Como o touro, nascido para o luto
e a dor, eu, como o touro, estou marcado
por um ferro infernal em meu costado,
a alma em fogo, no ardor de um corpo bruto.
 
Como o do touro, fica diminuto
todo o meu coração desmesurado,
 e, do teu beijo sempre enamorado,
 eu, como o touro, teu amor disputo.
 
Avulto, como o touro, ante o castigo. 
No coração, na boca ensanguentada,
 na cerviz, há trovões reboando em coro.
 
Como o touro, te sigo e te persigo,
e deixas meu desejo numa espada,
e eu, trôpego, agonizo, como o touro.

Um comentário:

  1. Uma comparação que resultou. Mais uma vez os meus
    parabéns também pela tradução e a autor do poema.
    Irene Alves

    ResponderExcluir