domingo, 21 de setembro de 2014

O último recado antes do inverno - Francisco José Viegas

O tempo vai passando. Vamos morrendo devagar,
subindo o rio, descansamos sob os choupos,
as vinhas escurecem com a luz do dia.
Muitas vezes, nesta altura do ano, não chega a amanhecer,
a água do rio turva rente às margens,
os areais prolongam-se, claros demais, brancos.

O tempo vai passando entre a erva,
emudece como o musgo do Outono nos pinhais,
escuta as vozes poisando mais além, entre os canais

onde a morte aguarda, serena. Amo estas árvores,
é o último recado que gostaria de deixar,
mais que as mulheres que me amaram,
ou que amei. O tempo vai passando devagar.

Um comentário:

  1. Gosto mais do escritor, do que gostei do governante ao
    serviço da direita em Portugal.
    É bom ver aqui mais uma poesia de um português

    ResponderExcluir