sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Metamorfose - Luiz Guimarães

Meu coração repleto de esplendores

Como as grutas fantásticas do Oriente,

Será digno de ti.  Por ti somente

Foi que eu junquei meu coração de flores.

 

Por ti despi-o das passadas cores,

Por ti sequei a lágrima pungente,

Que gotejava como o orvalho ardente,

Silenciosa sobre as minhas dores!

 

Entra.  Percorre estes vergéis risonhos,

Calca a sorrir a terra umedecida

Onde palpita o mundo dos meus sonhos.

 

Fica, porém, atenta e prevenida;

Hás-de ouvir, muitas vezes, os medonhos

E surdos ais de uma ilusão perdida.

Um comentário:

  1. Luiz Guimarães Filho 30/10/1878 Rio de Janeiro - 19/04/11940
    Petrópolis. Diplomata, poeta e cronista.
    Gostei muito de ler este seu poema.
    Um abraço
    Irene Alves

    ResponderExcluir