terça-feira, 17 de janeiro de 2017

BEIJO – Cyrano de Bergerac



Hercule Savinien de Cyrano de Bergerac foi um livre-pensador, que viveu na França entre 1619 e 1655. O pensamento racionalista apresentado por Cyrano foi algo raro na época, pois o Iluminismo começou um século após a sua morte. Defendia ideias consideradas ousadas para a época, tais como a de que a matéria se compõe de átomos e de que os animais são dotados de inteligência.

A palavra sorri e queima-se detrás do lábio que a deseja.
Beijo a brincar na boca e boca que não beija,
porque o pudor retrai esse desejo louco...
Sem querer, sem sentir, via-a desfolhar há pouco
a flor do galanteio, e passar n'um encanto
do sorrir ao suspiro e do suspiro ao pranto!


 Aclare um pouco mais a luz do sentimento:
nas lágrimas um beijo, é um deslumbramento!
E afinal o que é um beijo? Um céu aberto.
Juramento d'amor, feito mui de perto!
Numa promessa linda uma confirmação.
Ponto róseo a cair no i d'uma afeição.
Segredo que se diz a uma boca vermelha.
Num ponto d'infinito um ruído d'abelha...


 É uma comunhão com um sabor de rosas.
O respirar subtil das almas amorosas;
O precioso subir d'um coração à boca...
Luz que do lábio sai, numa volúpia louca!

Um comentário:

  1. Um poema imortal sobre o beijo.
    Cumprimentos a todos neste 2017.
    Irene Alves

    ResponderExcluir