terça-feira, 16 de maio de 2017

A ARMA NOSSA DE CADA DIA - Gilberto Nogueira de Oliveira

O poeta está armado...
Disse ele empunhando uma caneta.
O pintor está armado...
Disse ele empunhando um pincel.
A policia está armada...
Disseram eles, combatendo o povo.
Chegou a tropa de choque,
Abrilhantando a desgraça.
O camponês está armado...
Disse ele empunhando uma foice.
O operário está armado...
Disse ele empunhando um martelo.
O povo está armado...
Disseram eles de encontro à esperança.
O professor está armado
Disse ele empunhando um livro.
O governo está armado...
Disseram eles promovendo o terror.
A desgraça brilha na praça.
O povo de encontro à desgraça.
E a desgraça brilha... na praça.

Um comentário:

  1. Pois e a desgraça brilha...na praça.

    E isso é o drama da Humanidade.

    Os meus cumprimentos.
    Irene Alves

    ResponderExcluir