terça-feira, 10 de junho de 2014

Cores da solidão - Ézio Pires

só falo
sonâmbulo
o que acordado me calo
mas me ofereço
paisagem
de carne e osso
nos balanços de seios
na beira do rio
na beira do corpo...
nas viagens
das virgens
(babilônicas)
fui feito urgente
de desejo insatisfeito
fiquei sem caminhos
(sem rios)
para chegar ao mar
me sonho boi
para mastigar cores
da solidão...

Nenhum comentário:

Postar um comentário