sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Mas que sei eu? - Ruy Belo

Mas que sei eu das folhas no outono
ao vento vorazmente arremessadas
quando eu passo pelas madrugadas
tal como passaria qualquer dono?

Eu sei que é vão o vento e lento o sono
e acabam coisas mal principiadas
no ínvio precipício das geadas
que pressinto no meu fundo abandono

Nenhum súbito súdito lamenta
a dor de assim passar que me atormenta
e me ergue no ar como outra folha

qualquer. Mas eu que sei destas manhãs?
As coisas vêm vão e são tão vãs
como este olhar que ignoro que me olha

2 comentários:

  1. Rui de Moura Belo (São João da Ribeira, Rio Maior, 27 de Fevereiro de 1933 - Queluz, 8 de agosto de 1978) foi um poeta e ensaísta português.
    Infelizmente morreu muito novo mas deixou-nos a sua poesia
    que enquanto for lembrada o manterá entre nós.
    Pela m/parte, como portuguesa, agradeço a inclusão
    aqui neste blogue da poesia de Ruy Belo.
    Irene Alves

    ResponderExcluir